Digite o endereço de email associado à sua conta de usuário. Seu nome de usuário será enviado para este endereço de email.

DSCF2066
DSCF2069
DSCF2108
DSCF2109
casacata1
cascata
entrada
hall
Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
  • Caminhões carregados de combustível chegam aos postos de Campo Grande

    Três caminhões saíram de uma distribuidora carregados de combustível e escoltados pela polícia. Dois postos estão recebendo reposição e consumidores formam filas de que chegam a 20 quarteirões. Três caminhões saíram de uma distribuidora de Campo Grande carregados de combustível e escoltados pelas forças de segurança. De acordo com funcionários da distribuidora, 14 caminhões estariam sendo preparados para deixar o local carregados e escoltados até amanhã. Destes, 9 seriam para a capital e os demais iriam para Corumbá, Maracaju e Jardim, MS. Forças de segurança escoltaram caminhão carregado de combustível em Campo Grande TV Morena/Reprodução Em Campo Grande os caminhões foram para 2 postos de combustível na capital: Um na avenida Afonso Pena com a rua Terenos e o outro na avenida Mato Grosso com a Rua Ceará. Caminhões saíram da distribuidora sob xingamentos Quando os militares chegaram à distribuidora para fazer a escolta, dois homens discutiram e chegaram a deitar na rua em frente à unidade para impedir a passagem dos caminhões. Motoristas de aplicativos que aderiram ao manifesto e estavam na rodovia, conversaram com os caminhoneiros e convenceram os homens a deixar o local. A saída dos caminhões aconteceu sob xingamentos por parte dos manifestantes. O Procon acompanha a chegada do combustível em um dos postos da capital. Com a notícia da reposição, consumidores foram até os postos e as filas aumentaram. Na unidade da avenida Mato Grosso a fila de carros já ocupa cerca de 20 quarteirões.
  • Avicultura paranaense enfrenta problemas com a falta de transporte
    No Paraná, são 20 abatedouros de aves parados e 20 mil funcionários sem trabalhar devido à paralisação dos caminhoneiros. Criadores de frangos e cooperativas ajustam a produção por causa das paralisações A cadeia da avicultura no Paraná, responsável por 35% da produção nacional de frangos, enfrenta problemas desde os incubatórios das aves até a chegada ao consumidor final com a falta de transporte devido à paralisação dos caminhoneiros. Com o ciclo de produção interrompido, os incubatórios - de onde saem os pintinhos - estão lotados. A ração dos animais, também não chegam às granjas, que estão racionando alimentação. Os produtores, por sua vez, não conseguem escoar a produção. "Nos preocupa muito porque agora realmente está chegando no limite. Tem urgência que se resolva o problema, porque vamos dizer, dentro de 24h ou 48h, no máximo, o caos vai estar instalado nas granjas", afirma o produtor Gerson Araudi. Já os frigoríficos estão sem conseguir abater as aves por falta de matéria prima e por estar com as câmaras frias lotadas de produtos. No Paraná, são 20 abatedouros de aves parados e 20 mil funcionários sem trabalhar. Um frigorífico da região oeste do Paraná, por exemplo, afirma que deixa de faturar R$ 7,5 milhões por dia parado. Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.
  • Ladrão fura tanque e rouba gasolina de carro estacionado na rua em SP
    Quando o dono tentou voltar pra casa, na Zona Norte de São Paulo, só conseguiu rodar poucos metros. Ladrão fura o tanque e rouba gasolina de carro estacionado em rua da zona norte Um ladrão furou tanque e roubou a gasolina de um carro estacionado em uma rua da Zona Norte de São Paulo, na noite desta sexta-feira (25). O dono tentou voltar para casa, mas o carro parou no caminho. O tanque de gasolina estava furado. "Eu chamei um guincho achando que fosse um problema mecânico. Quando subiu no guincho, o rapaz alertou que tinha um buraco no tanque de gasolina", disse o fotógrafo Fábio Piva, dono do veículo.