Calendário de Eventos

Flat View
By Year
Vista mensal
By Month
Weekly View
By Week
Daily View
Today
Search
Pesquisar

Vista diária

Segunda-feira, Outubro 22, 2018
  < Dia anterior Segunda-feira, Outubro 22, 2018 Dia seguinte >
  • Sem eventos
Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
  • Vítimas de acidentes de trânsito têm dificuldade para receber indenizações do DPVAT
    Seguro obrigatório DPVAT indeniza vítimas de acidentes de trânsito. A cobertura é por morte, invalidez permanente e despesas médicas. Vítimas de acidentes de trânsito têm dificuldade para receber as indenizações do DPVAT Vítimas de acidentes de trânsito reclamam que estão com dificuldade para receber as indenizações do seguro DPVAT. A manicure Ivanete Duarte conta que já foi três vezes aos Correios enviar a documentação para a mãe dela, que sofreu um acidente de carro, conseguir receber a indenização do seguro obrigatório, o DPVAT. “Dão prazo de 120 dias. Dentro desse prazo, eu mando, aí volta o papel de novo, faltando alguma coisa. E até então eu quero saber o que está faltando”, diz. O DPVAT indeniza vítimas de acidentes de trânsito. A cobertura é por morte, invalidez permanente e despesas médicas. Para dar entrada no processo, não é preciso ter advogado, nem despachante. Teoricamente, seria só enviar a documentação. Geraldo José Pereira está andando de muleta. Ele é motoboy e sofreu um acidente de moto em maio. Quebrou a perna em três lugares e ainda precisou colocar um parafuso. Por isso, está sem trabalhar. “Laudo, tudo que eles pediram, já mandei. Só que depois fala que está faltando outro documento. Mas como? Não tem como. Não tem mais documento pra gente mandar”, diz. Só em Belo Horizonte são 81 pontos de atendimento autorizados a receber e encaminhar os documentos das vítimas para a seguradora que administra o DPVAT. Só que até mesmo os credenciados têm reclamado que a seguradora tem dificultado os pagamentos. Um corretor que prefere não se identificar diz que a seguradora nega, por exemplo, casos de acidente com invalidez: “Chegando lá, eles fazem uma análise documental apenas e negam. Estão negando uma grande maioria dos sinistros”. O corretor afirma ainda que a seguradora reduziu o pagamento de indenizações: “Enviamos em torno de 400 a 500 processos por mês. E hoje eles estão pagando em torno de 80 processos por mês”. Enquanto a situação não se resolve, a dona de casa Maria do Carmo Ribeiro mostra a pilha de documentos e relatórios que já enviou à seguradora. Ela quer receber a indenização do filho dela, Tadeu, de 21 anos. Ela diz que aos 18 anos ele foi atropelado em uma rodovia e ficou tetraplégico. “Te pede documento, você manda. Depois pede documento de novo, você manda. Eles querem vencer você por cansaço. Vou continuar, se é direito dele”, garante. A seguradora Líder, responsável pela gestão do DPVAT, declarou que simplificou o serviço de envio de documentos, mas que ainda há vítimas que não enviam corretamente. Sobre o pagamento de indenização, a Líder afirma que caiu o número de acidentes e que, além disso, a seguradora aumentou a rigidez no processo para evitar fraudes e está investindo em campanhas para esclarecer sobre como entrar com os pedidos de indenização. “É super fácil, qualquer agência dos Correios está capacitada e treinada para fazer esse atendimento. O envelope é um porte pago da seguradora Líder, não tem nenhum custo. O nosso objetivo maior é para que a indenização seja rápida, é indenizar com base só na documentação. Quanto mais completa vier a documentação, mais rápida a indenização é emitida”, afirma Artur Froes, superintendente de operações da seguradora Líder.
  • Manifestantes protestam contra Bolsonaro em 29 cidades do país
    Em São Paulo, a Avenida Paulista chegou a ser fechada nos dois sentidos na altura do Masp. Manifestantes protestam contra Bolsonaro em 29 cidades do país Manifestantes protestaram contra o candidato Jair Bolsonaro em 29 cidades do país neste sábado (20). Em São Paulo, a manifestação foi convocada pelos movimentos Frente Brasil Popular, Mulheres Unidas contra Bolsonaro e Frente Povo sem Medo. A avenida Paulista chegou a ser fechada nos dois sentidos na altura do Masp. No Rio de Janeiro, o ato foi organizado pelo movimento Mulheres contra Bolsonaro. O protesto começou às 15h. Logo depois, os manifestantes saíram da Cinelândia em direção à Lapa, no centro. Em Goiânia, a concentração foi na Praça Cívica, no centro da capital. O movimento Todas e Todos pelo Brasil reuniu representantes de sindicatos e movimentos sociais. Em Salvador, manifestantes se reuniram na praça do Campo Grande, no centro. No fim da tarde, caminharam até o Farol da Barra, seguindo um trio elétrico. Em Belo Horizonte, os participantes se reuniram na praça Sete, no centro. Depois seguiram até a praça da Estação, onde houve um ato cultural. O presidente do PSL, Gustavo Bebiano, disse que o Brasil é um pais democrático e livre, que permite diferentes tipos de manifestações, diferentemente de Cuba e Venezuela, classificados por ele como ditaduras apoiadas pelo PT.
  • Rapaz encapuzado invade aniversário e mata homem com tiro na cabeça em Macapá
    Um jovem, de 18 anos, foi preso suspeito de participação no crime, que ocorreu neste sábado (20). Um homem, identificado como Rosinaldo Torres, de 42 anos, morreu ao levar um tiro na cabeça por um rapaz encapuzado. O crime ocorreu durante a comemoração de um aniversário, na noite deste sábado (20), no bairro Pantanal, Zona Norte de Macapá. De acordo com a Polícia Militar (PM), o atirador invadiu a festa, em homenagem a proprietária da casa, e disparou contra a vítima, que morreu no local. Até a última atualização desta reportagem, ele não foi preso ou identificado. Um jovem, de 18 anos, foi preso suspeito de participação no crime. Irmãos da vítima disseram à PM que, em busca do atirador encontraram com o jovem, que correu ao ser visto. Convidados do aniversário disseram que esse mesmo suspeito passou várias vezes em frente a festa. Para as testemunhas, o jovem teria fornecido para o atirador informações sobre o paradeiro de Torres. Ele foi apresentado no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do bairro Pacoval, onde presta esclarecimentos. A PM informou ainda que parentes e amigos da vítima relataram que, recentemente, Rosinaldo Torres teria separado uma briga e um homem o ameaçou de morte. O caso será investigado pela Polícia Civil. Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!