Calendário de Eventos

Flat View
By Year
Vista mensal
By Month
Weekly View
By Week
Daily View
Today
Search
Pesquisar

Vista diária

Segunda-feira, Agosto 13, 2018
  < Dia anterior Segunda-feira, Agosto 13, 2018 Dia seguinte >
  • Sem eventos
Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
  • Prefeitura de Maringá prevê compra de vagas em creches para famílias com renda mensal de até R$ 3,8 mil
    Administração pretende contratar 2 mil vagas na rede privada; decreto com os critérios para seleção de crianças foi publicado nesta terça-feira (23). Prefeitura define critérios para matrículas em vagas de creches particulares A prefeitura de Maringá, no norte do Paraná, publicou nesta terça-feira (23) um decreto com os critérios para seleção de crianças que serão matriculadas em creches particulares, com as mensalidades e materiais pagos pelo município. A administração pretende contratar 2 mil vagas na rede privada. De acordo com o documento, as vagas serão destinadas para crianças de até 3 anos e 11 meses. Os responsáveis pela matrícula deverão comprovar que residem e votam em Maringá. Também será exigido que o responsável legal pela criança seja atendido pelo Bolsa Família, ou que comprove renda mensal familiar de até quatro salários mínimos - R$ 3,8 mil. Conforme o decreto, as crianças serão atendidas conforme a lista de espera. A lista de documentos para efetivação das matrículas - com data ainda indefinida - tem 14 itens. Veja abaixo: Certidão de nascimento (original e fotocópia) Carteira de vacinação (original e fotocópia) Cartão nacional de saúde (SUS) Saúde Maringá ou protocolo de solicitação do cartão Atestado do posto de saúde ou pediatra Atestado de vacina atualizado Teste do pezinho (original e fotocópia) Teste da orelhinha (original e fotocópia) Declaração de matrícula e frequência - ou guia de transferência para crianças que já frequentou algum CMEI RG e CPF do responsável Comprovante de residência em nome do responsável - serão aceitas faturas de água, luz, telefone fixo ou guia de IPTU Título de eleitor do responsável. Conforme o decreto, o local de votação deverá ser em Maringá Comprovante de renda Em caso de pais separados, será preciso apresentar documento que comprove a separação No caso de beneficiários do Bolsa Família, será exigida a apresentação do cartão e do último extrato bancário Segundo o procurador jurídico da prefeitura, Vitor Borghi, não será possível a transferência de crianças que já estão matriculadas em creches da prefeitura para a rede privada - custeada pelo município. “A criança que está matriculada no CMEI continua no CMEI. É bom lembrar que a esse programa é emergencial, como uma forma de diminuir e até, quem sabe, zerar a fila de espera, junto com a contratação de mais de 200 professores quer será feita no final do ano”, disse. Um levantamento do Observatório Social de Maringá apontou que as creches municipais contam com 86 salas ociosas, que poderiam receber 2,1 mil alunos. De acordo com a prefeitura, a solução para essas salas deverá vir de uma contratação de 230 professores, prevista para este ano. Com as contratações das vagas na rede particular, o município prevê chegar próximo de encerrar a fila de espera. Conforme o decreto, a prefeitura deverá pagar R$ 1 mil por mês para cada matrícula. Um edital de chamamento para as creches particulares interessadas em receber alunos custeados pelo município ainda será lançado, segundo a administração. A prefeitura foi condenada em junho, pela Vara da Infância e Juventude de Maringá, a zerar a fila de espera por vagas em creches municipais. O prazo dado pela Justiça para acabar com a fila, de cerca de 4 mil crianças, foi de um ano. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
  • Dezesseis testemunhas são ouvidas em audiência sobre a morte de irmãos em Linhares, ES

    Todos os depoimentos vão servir de base para a sentença do juiz, que vai decidir se os réus vão ou não a júri popular. Pai de Juliana foi uma das pessoas ouvidas. Dezesseis testemunhas foram ouvidas na segunda audiência para apurar a morte dos irmãos Kauã e Joaquim, que ocorreu no Fórum de Linhares nesta terça-feira (23). Foi a primeira vez que o casal de pastores Georgeval Alves e Juliana Salles, presos por envolvimento no caso, ficaram frente a frente depois de terem sido levados ao sistema prisional. O pai de Juliana foi uma das pessoas ouvidas nesta fase de audiências, mas ele saiu do Fórum sem falar com a imprensa. Todos os depoimentos vão servir de base para a sentença do juiz, que vai decidir se os réus vão ou não a júri popular. A audiência aconteceu a portas fechadas porque o caso corre em segredo de Justiça por envolver menores. Nem mesmo o pai de Kauã, que foi ouvido na primeira audiência que ocorreu e 10 de outubro, em Vitória, foi permitido de entrar no Fórum nesta terça. O Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) indeferiu o pedido de acompanhamento dele. O casal de pastores foi vaiado nos corredores do Fórum. Eles deixaram o local por volta de 18h30, quando a audiência terminou, no mesmo veículo de sistema prisional. Pastores acusados da morte de irmãos no ES participam de audiência da Justiça Caso As crianças morreram em um incêndio no dia 21 de abril, em Linhares. Georgeval, pai de Joaquim e padrasto de Kauã, foi acusado de estuprar, agredir e queimar as crianças. Já a esposa dele, Juliana foi presa porque, segundo o juiz, foi omissa e sabia dos abusos que as vítimas sofriam. Eles são acusados de homicídio qualificado, estupro de vulneráveis e fraude processual. Georgeval ainda responde por tortura. Veja o que se sabe sobre as mortes de Kauã e Joaquim Veja a cronologia da tragédia em Linhares Veja, ponto a ponto, o que levou à prisão de pastora Irmãos morreram carbonizados em incêndio em Linhares, ES Reprodução/ TV Gazeta Primeira Audiência A primeira audiência aconteceu no dia 10 de outubro, na 1ª Vara Criminal de Vitória. Ela não será aberta ao público porque o caso corre em segredo de Justiça. Nessa ocasião, foram ouvidos o pai e a avó de Kauã, e peritos da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros, que estiveram na casa depois do incêndio. Depois da audiência, a avó de Kauã, Marlucia Aparecida Butkovsky, declarou que não sabia do relacionamento do casal com os filhos e enteado e se emocionou. “Pelo que a gente convivia, não tinha como perceber se tinha alguma coisa por trás. Se eu soubesse, meu neto estaria vivo, não estaria morto".
  • Willa toca o solo no México como furacão de categoria 3

    Com ventos de 153 km/h, fenômeno chegou à Isla del Bosque, no estado de Sinaloa, às 22 horas desta terça-feira (23). Rua alagada por chuvas trazidas pelo furacão Willa é vista em Escuinapa, no estado de Sinaloa, no México, na terça-feira (23) Alfredo Estrella/AFP O furacão Willa tocou o solo mexicano em Isla del Bosque, no estado de Sinaloa, às 22 horas (horário de Brasília) desta terça-feira (23), de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês). Com ventos de 153 km/h, ele foi rebaixado à categoria 3, depois de ter chegado à categoria 5 na escala Saffir-Simpson na segunda. Segundo a France Presse, mais de 4.200 pessoas, entre moradores e alguns turistas no Pacífico mexicano, foram para abrigos para aguardar a chegada de Willa em segurança. Palmeiras se agitam com os ventos provocados pela aproximação do furacão Willa em Mazatlan, no México, na terça-feira (23) Reuters/Henry Romero "Foram realizadas ações de evacuação preventiva nas zonas de alto risco e nos destinos turísticos. Foram evacuadas mais de 4.250 pessoas, já enviadas a 58 abrigos temporários", disse em coletiva de imprensa o chefe da Proteção Civil da secretaria de Governo (ministério do Interior), Luis Felipe Puente. Antes de chegar a Sinaloa, o furacão passou pelas Ilhas Marias, onde funciona uma prisão sem muros, mas cercada por tubarões, que abriga cerca de mil detentos. As autoridades informaram que foram adotadas medidas preventivas para proteger os presos e funcionários que estão no local, mas, por questões de segurança, não informaram os detalhes. Preparativos Na noite de segunda-feira moradores protegeram janelas e portas com grandes tábuas de madeira em hotéis que ficam diante do calçadão histórico de Mazatlán, cidade litorânea popular do estado de Sinaloa, enquanto turistas passeavam e palmeiras oscilavam sob uma brisa suave. Em um posto de combustível nos arredores da cidade, uma fila constante de carros esperava para reabastecer e fazer compras na loja de conveniência vizinha. Vários outros refúgios turísticos de Nayarit, além da estância litorânea de Puerto Vallarta, no estado de Jalisco, também ficam próximas da rota da tempestade, que se prevê provocar "elevação das marés, vento e chuvas", disse o NHC. Antonio Echevarria, governador de Nayarit, disse que mais de 10 mil pessoas estão sendo retiradas e que as escolas serão fechadas. Ele aconselhou os locais a não desafiarem a tempestade. Sinaloa também cancelou aulas na maior parte do estado. Furacão Willa Alexandre Mauro/G1 Como se forma um furacão Arte/ G1