Calendário de Eventos

Flat View
By Year
Vista mensal
By Month
Weekly View
By Week
Daily View
Today
Search
Pesquisar

Vista diária

Quinta-feira, Maio 03, 2018
  < Dia anterior Quinta-feira, Maio 03, 2018 Dia seguinte >
  • Sem eventos
Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
  • Djavan apresenta nova música, 'Solitude', no palco do Fantástico

    O cantor conversou com apresentador Tadeu Schmidt sobre seu novo disco, que sai em novembro, e cantou sucessos como 'Se', 'Samurai' e 'Sina' e uma versão de 'Toda Sua', da Iza. Djavan apresenta nova música, 'Solitude', no palco do Fantástico O homem-ritmo, Djavan, está com um disco novo prontinho no forno para ser lançado, em novembro. O primeiro show desse trabalho, “Solitude”, aconteceu no palco do Fantástico. O cantor Djavan, que lança no palco do Fantástico seu novo trabalho, 'Solitude' Felipe Martini/Globo O cantor conversou com apresentador Tadeu Schmidt e apresentou a faixa-título, “Solitude”, os sucessos “Se”, “Samurai” e “Sina” e uma versão de “Toda Sua”, da Iza. Assista à entrevista acima e à integra dos musicais nos vídeos abaixo. Tadeu Schmidt toca violão e canta ao lado de Djavan Tadeu Schmidt toca violão e canta ao lado de Djavan "SOLITUDE" Djavan canta "Solitude" no palco do Fantástico "SE" Djavan canta 'Se' no palco do Fantástico "SAMURAI" Djavan canta "Samurai" no palco do Fantástico 'EU TE DEVORO' Djavan canta "Eu te devoro" no palco do Fantástico "TODO SEU" (VERSÃO DE "TODA SUA", DA IZA) Djavan canta 'Toda Sua', de Iza, no palco do Fantástico
  • TSE dá prosseguimento a ação do PDT contra Bolsonaro, mas nega pedido de liminar

    Decisão é do ministro Jorge Mussi. Ações se baseiam em reportagem que aponta o envio em massa por empresas de mensagens contra o PT no WhatsApp para beneficiar Bolsonaro. A fachada do prédio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Ueslei Marcelino/Reuters O ministro Jorge Mussi, corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deu prosseguimento neste domingo (21) a uma ação apresentada pelo PDT e pela Coligação Brasil Soberano (integrada por PDT e Avante) contra o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro. Uma segunda ação, com teor parecido, apresentada apenas pela coligação, também foi instaurada. O corregedor deu prazo de cinco dias para a defesa do candidato se manifestar e negou todos os pedidos de liminar – decisão provisória – que constavam das duas ações. Entre outros pontos rejeitados está o pedido para impedir Bolsonaro e o vice na sua chapa, Hamilton Mourão, de veicularem qualquer notícia por meio de rede social e, principalmente, WhatsApp. O PDT e a coligação baseiam as ações em reportagem da "Folha de S.Paulo" segundo a qual empresários que apoiam Bolsonaro contrataram serviços para envio em massa de mensagens contra o PT por meio do WhatsApp. Essa prática, em tese, pode ser ilegal, caso seja considerada pela Justiça doação de campanha feita por empresas. Desde 2015, empresas estão proibidas de fazer doação eleitoral. Segundo a "Folha", as empresas apoiadoras de Bolsonaro compram um serviço chamado "disparo em massa" usando a base de usuários do candidato do PSL ou bases vendidas por agências de estratégia digital. O uso de bases de terceiros pode ser considerado ilegal, já que a lei permite apenas o uso de listas de apoiadores do próprio candidato (nos casos de números cedidos de forma voluntária). A campanha de Jair Bolsonaro nega irregularidades. As duas ações do PDT e da coligação pedem a convocação de uma nova eleição de primeiro turno sem Jair Bolsonaro. Na sexta, o ministro já havia aberto uma investigação sobre a campanha de Bolsonaro a pedido do PT, mas negou busca e apreensão e quebras de sigilo de empresas que teriam beneficiado Bolsonaro. Ações Após a resposta da defesa de Bolsonaro, o corregedor vai analisar a necessidade de novas provas. As ações terão de ser julgadas pelo TSE, em data ainda não prevista. No primeiro turno, realizado no último dia 7, o candidato do PDT, Ciro Gomes, recebeu 13,3 milhões de votos (12,4%) e ficou em terceiro lugar, atrás de Bolsonaro (46,03%) e de Fernando Haddad, do PT (29,28%).
  • Shakira volta a SP após 7 anos em show mais eletrônico e sem forçar a voz

    Colombiana lotou o estádio do Palmeiras com 45 mil fãs e se mostrou recuperada de hemorragia na corda vocal que a fez adiar turnê: 'Milagres acontecem'. Shakira faz show em São Paulo neste domingo (21). Celso Tavares / G1 De volta ao Brasil após sete anos, Shakira mostrou estar recuperada do que chamou de "o pior momento" de seus quase 30 anos de carreira. A colombiana de 41 anos adiou duas vezes sua turnê "El Dorado": precisou de sete meses para se recuperar de uma hemorragia na corda vocal direita. Ela cantou, dançou, tocou guitarra, bateria e sintetizadores para 45 mil fãs neste domingo em São Paulo, lotando o Estádio do Palmeiras. "Milagres acontecem", disse a cantora ainda no começo, falando sobre o adiamento da turnê. "Através dos obstáculos eu descobri que tenho amigos de verdade. Obrigada por estarem comigo nos bons e maus momentos". Shakira faz show em São Paulo neste domingo (21). Celso Tavares / G1 Com arranjos no geral mais dançantes e eletrônicos do que de turnês anteriores, Shakira compensa com simpatia (falou que estava com "saudades") os momentos em que claramente evita forçar a voz. FOTOS: Veja imagens do show da Shakira em São Paulo A tour anterior, de 2011, era mais redondinha e pop roqueira, com shows em São Paulo e no Rock in Rio. Desta vez, ela retira do primeiro disco internacional uma dose de nostalgia que faz bem ao set. Na abertura, emenda seus primeiros singles "Estoy aquí" e "¿Dónde estás corazón?". Mas eles surgem em versão remix eletrônico, com vocais pré-gravados que encobrem a voz dela. "Underneath Your Clothes" também muda de balada sofrida, para poperôzinho quase divertido. Ao mudar o andamento, alguns fãs têm até dificuldade para cantar. Ninguém reclamou. E, claro, reciclar é preciso. Mas a melhor troca de roupagem da noite é de "Can't remember to forget". Desacelerada, ela parece ter sido composta para virar um reggae torto, entre Police e Magic. Mais fiéis às originais, "Whenever, Wherever" vem com a tradicional dança do ventre. Os outros momentos em que seus quadris não mentem são "Loca", "Chantaje", "Waka Waka" e, é óbvio, "Hips don't lie". Na introdução dessa, ela anda perto da grade, balançando seu vestido com uma estampa de oncinha de legging barata. Shakira se apresenta em São Paulo com a turnê 'El Dorado' neste domingo (21). Celso Tavares / G1 O lado menos pop dançante ganha força quando ela pega a guitarra, em "Amarillo" e "Se te Vas". "Antología", composta quando tinha 17 aninhos, é o momento acústico. Ela canta ladeada por quatro dos seis músicos de sua banda na passarela que divide a pista vip. A cantora encerra sua passagem pelo Brasil em Porto Alegre, na terça (23), na Arena do Grêmio.